Orgia calórica só para descontrair

Os americanos têm 175 dias por ano dedicados a comida ou bebidas. Se os levarem à risca, não é de admirar que sejam o povo mais obeso do planeta. No calendário figuram dias tão originais como o “Dia das Cerejas Cobertas de Chocolate” (já passou, foi a 3 de Janeiro), o “Dia da Manteiga de Amendoim” (24 de Janeiro), ou o “Dia Nacional da Pipoca” (a 19 do mesmo mês). Em Fevereiro há um dia em que é suposto comer-se gelado ao pequeno-almoço. Há o “Dia Nacional da Pizza”, mas comparado com o que aí vem, trata-se de um dia extremamente óbvio, banal até. Continuando em Fevereiro, em anos bisextos temos o “Dia das Pernas de Rã” (!), a 29. Em Março há “Dia da Sanduíche” e para mim, hoje, é dia de comer bolo de aniversário como se não houvesse amanhã. Vou apostar num Landeau, uma verdadeira orgia de chocolate, para a despedida. É que amanhã é dia de começar mais uma dieta do Paleolítico, por isso na despedida é para deitar e rolar. É caso então para aproveitar e babar-me com os food days americanos.

Em Abril, há dias do caramelo e da cerveja entre muitas outras apetecíveis iguarias. Em Maio, alto e pára o baile! No dia 11 vale tudo, é “Eat What You Want Day” (Dia de Comer Tudo o Que Aparecer Pela Frente). Teme-se o pior.

O descalabro do mês continua com o “Dia do Hamburguer” (28). Pelo meio, uma pausa chique para receber o “Dia do Escargot”, a 24. Embora neste dia sejam esperadas filas à porta das grandes superfícies de fast food, pois toda a gente sabe que o escargot não puxa carroça. Junho começa com o “Dia do Donut”. Pelo meio, mais uma pausa chique para o “Dia da Lagosta”. Para não destoar, servida cheia de molho de manteiga. Ou maionese, vá.

Em Julho prossegue a orgia calórica: gelados e sundaes; salada cesar; barbecue; macaroni; frango frito, para os salgados também poderem brilhar; pecan pie (tarte de nozes pecan, aqui entre nós); chupa-chupa; piña colada; minhocas de goma (!); batatas fritas; caviar; hot dog; creme brulée; lasanha; cheesecake, todos protagonistas com direito a um dia no calendário… Claramente o meu mês favorito. A sério… este texto estava a pedir para ser escrito.

Dois minutos na boca, uma vida nas coxas.
Dois minutos na boca, uma vida nas coxas.

Agosto, mês de calor, destaque para o “Dia do Waffle”, o do “Marshmallow Tostado”, o da “Manteiga de Alho e Ervas” e o “Banana Split Day”. E se o leitor ainda não fez uma pausa para vomitar, é porque tem, tal como eu, um estômago de ferro e vai gostar de saber que em Setembro há dias especiais para panquecas, cheeseburgers e guacamole. Há ainda um dia curioso: a 28 é suposto ser dia de família reunida. Fala-se num “Day to Eat Dinner with Your Children” (tradução livre: dia de jantar com os filhos). Parte-se, portanto, do princípio que nos outros 364 dias do ano as crianças comem na arrecadação, na garagem, na cama, na casa-de-banho. Longe dos pais, pelo menos. Está certo. Prossigamos. O ano está quase a acabar e em Outubro, tirando todos aqueles doces light que os americanos servem no Halloween, a 25 celebra-se o “Greasy Food Day” (Dia da Comida Gordurosa, ou lá o que isso seja). Blhac!

Já Novembro começa bem, com o “National Men Make Dinner Day” (Dia de os Homens Fazerem o Jantar). Cá em casa não nos safávamos. Ia de ovos estrelados e pouco mais. Mas voto a favor. A 7 celebra-se o “Eating Healthy Day” que, sabe-se lá porquê, não deve ter grande adesão… Quem vai querer alface depois de ler isto?? Dezembro acaba, finalmente, vinte quilos depois, com brownies, cookies, cupcakes e bagels, para abreviar a coisa, porque havia muito mais para descrever, mas ninguém aguenta A 31, “Dia do Champanhe”, finalmente. Para diluir esta monstruosidade calórica e esquecer o ano que passou. Amanhã falamos de ginásios, ok?

Artigos Relacionados

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *