Sandra Nobre, contadora de histórias

A autora da minha "Short Story With Love".
A autora da minha “Short Story With Love”.

Inauguro esta categoria “Pessoas” com a Sandra Nobre. Já nos conhecíamos das lides “jornaleiras”, conhecia e admirava o trabalho dela enquanto jornalista especializada em viagens, viajámos juntas em trabalho, de vez em quando encontrávamos-nos por aí. Deu-se o feliz acaso de me cruzar com ela há coisa de um mês, no Hotel Valverde – que é quase a minha segunda casa em Lisboa – e termos passado um brunch de domingo a conversar. Sabia que a Sandra andava mais afastada dos jornais e das revistas, mas mantinha-se ligada à escrita através do projecto que fundou há dois anos, o Short Stories. Basicamente, a Sandra tornou-se numa confidente por encomenda. Quem tiver uma história para contar e a pretenda imortalizar numa edição de autor, contacta a Short Stories e em cerca de três semanas recebe um livro de tamanho A5, com a sua história muito bem escrita.

Bastaram uns minutos a ouvi-la falar do seu trabalho, com os olhos a brilhar, a contar a forma como as histórias se constroem e se transformam em objectos cheios de significado tanto para quem os recebe como para quem os encomenda, para perceber que tinha encontrado o presente de aniversário do meu marido. Combinámos logo ali a entrevista, o passo seguinte, para que a nossa “Short Story With Love”, minha e dele, se começasse “a vestir”. Tínhamos cerca de três semanas, um prazo apertado para quem tem a agenda preenchida de histórias alheias, que escreve noite dentro. Mas “faz-se”, prometeu-me a Sandra.

Um projecto português, que recupera tradições artesanais que estão a desaparecer, e que, como o luxo, faz sonhar.
Um projecto português, que recupera tradições artesanais que estão a desaparecer, e que, como o luxo, faz sonhar.

 

Feita a entrevista – novamente no Valverde, porque acredito que as histórias acontecem em determinados sítios com um propósito -, ainda trocámos e-mails com esclarecimentos de algumas dúvidas que entretanto surgiram. A bola estava agora no meu campo: fiquei incumbida de fazer perguntas ao meu filho sobre o pai (o resultado foi hilariante) a que juntámos um desenho dele com toda a família, até o cão; de escrever uma dedicatória; e de escolher cerca de 20 fotografias para ilustrar a obra.

Enquanto fazia o meu TPC, a Sandra ia alinhavando a nossa história. Confesso que a curiosidade foi-se aguçando. Queria muito ver o resultado final, apesar de, na primeira entrevista, já ter manuseado alguns exemplares que a Sandra levou para me mostrar. Nos livros personalizados da Sandra, a qualidade está estampada em cada detalhe. Na caixa, no selo de lacre, na encadernação cuidada feita manualmente, no título dourado a ferro e fogo, no papel escolhido (que leio algures que é da qualidade Fedrigoni, o preferido de marcas como a Louis Vuitton, a Prada ou a Moët & Chandon para as suas embalagens), mas, especialmente, na forma como está escrito. Realidade ou ficção, seja qual for o objectivo – contar uma história de amor, fazer um livro de recordações de uma viagem, um conto infantil escrito à medida, ou uma encomenda corporativa feita para um cliente – nada escapa ao olhar sensível da autora, que guarda nestas caixas momentos, imagens, músicas, afectos, valores. Como ela diz, e bem, os livros são “hand made with love” e isso nota-se. Daí a minha ansiedade de, chegado o dia 19 – sim, ele faz anos no mesmo dia que eu, falta de imaginação total… -, lhe oferecer o livro e ver a reacção.

Tudo aqui "grita" qualidade: a caixa, o selo de lacre, o papel, a encadernação de luxo feita à mão.
Tudo aqui “grita” qualidade: a caixa, o selo de lacre, o papel, a encadernação de luxo feita à mão.

No dia marcado, passei no atelier da Short Stories para ir levantar a minha encomenda, impecavelmente embrulhada num saco preto com uma fita em tecido da marca. Tive de prometer que não ia abrir para ler. A surpresa era para os dois. Para mim foi como ter cinco anos e ter de esperar três horas até o relógio dar as 12 badaladas na noite de Natal. Tinha nas mãos um presente que não era para mim, mas que me deixava mais ansiosa do que se fosse. Felizmente o tempo foi meu amigo e voou até à noite, quando nós, os dois aniversariantes, nos encontrámos e trocámos presentes. Eu fiquei esmagada. O resultado final superou todas as minhas expectativas. As dele só não superou porque ele não fazia a menor ideia do que o esperava. O que soube mesmo bem foi ouvi-lo dizer que foi “o melhor presente de sempre”. Missão cumprida, Sandra! Parabéns por este projecto tão único – e português! – e obrigada por teres escrito aquilo que, por estar tão dentro da história, eu jamais seria capaz de escrever, mas exactamente como eu teria escrito. Mal posso esperar para juntar mais volumes a esta colecção.

A Sandra Nobre recebe encomendas pelo e-mail sandra@sillyname.pt, +elo telefone 96 151 05 88 ou pelo Facebook www.facebook.com/sn.shortstories.
A Sandra Nobre recebe encomendas pelo e-mail [email protected], pelo telefone 96 151 05 88 ou pelo Facebook www.facebook.com/sn.shortstories.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *