A moda também se come

Burberry, Ralph Lauren, Gucci, Chanel, Bulgari, Dunhill, Hackett, Armani, Prada. São marcas de moda mas têm mais do que isso em comum. Todas respiram um estilo de vida que não se cinge apenas às colecções que apresentam a cada estação. Mais do que roupa, estas marcas vendem sonhos, oferecem experiências. Além de nos vestirem, decidiram começar a dar-nos de comer e de beber.

Chama-se Thomas's e segue os códigos british da Burberry. Um sucesso do afternoon tea em Londres.
Chama-se Thomas’s e segue os códigos british da Burberry. Um sucesso do afternoon tea em Londres.
Ralph Lauren expandiu o seu estilo de vida aos cafés. Este primeiro da marca fica na 5ª Avenida, em Nova Iorque.
Ralph Lauren expandiu o seu estilo de vida aos cafés. Este primeiro da marca fica na 5ª Avenida, em Nova Iorque.
Armani já tem 13 espaços gastronómicos espalhados pelo mundo. Um deles, este, no Dubai, no edifício Burj Khalifa.
Armani já tem 13 espaços gastronómicos espalhados pelo mundo. Um deles, este, no Dubai, no edifício Burj Khalifa.

Em Londres, na Regent Street, a Burberry abriu, na última Primavera, o Thomas’s (em homenagem ao fundador da marca), que já se tornou um hot spot para o afternoon tea na cidade. Na mesma rua, desde 2013 que a Hackett inclui na sua loja um bar de gin para cavalheiros. Do outro lado do Atlântico, Ralph Lauren fez o mesmo: abriu o Ralph’s Coffee, no segundo piso da flagship store da Polo na Quinta Avenida, em Nova Iorque. Pelo mundo fora, multiplicam-se os Armani Caffe. A casa italiana já tem 13 espaços, desde um dentro da loja de Munique, passando pelo gigantesco café no Burj Khalifa, no Dubai – consta que a influência do criador italiano no Dubai é tal que conseguiu que o espectáculo aquático das fontes do Dubai Mall se repetisse à hora do almoço para deleite dos seus clientes – até a um Nobu no café de Milão.

Reabriu há poucas semanas a Pasticceria Marchesi, na Via Montenapoleone, em Milão. Uma pastelaria histórica agora sob a chancela da Prada.
Reabriu há poucas semanas a Pasticceria Marchesi, na Via Montenapoleone, em Milão. Uma pastelaria histórica agora sob a chancela da Prada.
A Gucci expandiu a sua oferta de lifestyle do café que tinha no Museo Gucci, em Florença, até ao oriente, à loja de Xangai.
A Gucci expandiu a sua oferta de lifestyle do café que tinha no Museo Gucci, em Florença, até ao oriente, à loja de Xangai.

Giorgio Armani acredita que cafés e restaurantes são o destino lógico depois de um dia de compras. “Sempre quis criar um estilo de vida Armani que reflicta as minhas ideias e que possa ser aplicado nas mais diferentes áreas, não apenas na da moda. Restaurantes e cafés são a expansão lógica”, esclarece. Uma estratégia que se espera que aumente as vendas, embora o lucro gerado pelos cafés e restaurantes destas marcas seja mínimo. “O importante é apostar-se no desenvolvimento de uma relação de lealdade entre o consumidor e a marca”, reforça Honor Westnedge, analista de retalho na empresa Verdict Research. Ao que Joe Pine, co-autor do livro “The Experience Economy” acrescenta: “se nós, enquanto retalhistas, conseguirmos que o cliente passe mais tempo conosco, então é natural que ele gaste também mais dinheiro conosco. (…) Porque as pessoas vão associar as boas sensações, sentimentos e memórias que têm dessa experiência à marca, à loja e à mercadoria que esta comercializa”.

A Hackett apostou num bar de gin para cavalheiros.
A Hackett apostou num bar de gin para cavalheiros.
Também a Chanel tem o seu restaurente, chamado Beige, uma das cores preferidas de Coco Chanel, em Tóquio, no distrito de Ginza.
Também a Chanel tem o seu restaurante, chamado Beige, uma das cores preferidas de Coco Chanel, em Tóquio, no distrito de Ginza.

Os italianos sabem fazê-lo como ninguém. Tal como Armani, também a Prada está a apostar na restauração para reforçar a sua relação com os clientes. Em 2014 comprou uma parte da pastelaria histórica milanesa, a Pasticceria Marchesi, bem no coração da cidade, na Via Montenapoleone. Depois de umas obras de requalificação, abriu na semana passada sob a tutela Prada e serve tudo, desde pequenos-almoços a jantares.

A Gucci, que já tinha um café no seu Museo, em Florença, reforçou a sua oferta gastronómica mais a Oriente, em Xangai, no shopping IAPM. Em Tóquio, no distrito de Ginza, há já algum tempo que se come e bebe em lojas de luxo como a Bulgari, a Chanel ou a Dunhill.

Bons destinos para acrescentar à lista dos locais must-see destas cidades.

Bulgari

 

 

Artigos Relacionados

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *