Festival Vila Joya está de volta

Novembro vai ser um mês deliciosamente gastronómico. Mal posso esperar pela quantidade de experiências gourmet que vão acontecer por este Portugal fora. O Jantar Sensorial da semana passada, no Epic SANA, foi só o começo, porque muito mais está para acontecer. Até vai haver Fora de Série dedicada ao tema.

O menu da Trufa Branca de Alba que vai estar o mês todo no restaurante Varanda, no Ritz Fours Seasons Lisboa. Os jantares-guerrilha organizados pela Silver Spoon, que acontecem entre 25 e 28 de Novembro, e desta vez contam com a inspiração de Pascal Meynard, o chef do – supresa! – Ritz (porque será que todos os caminhos vão dar ali?). No dia 25 lá estarei, onde quer que seja, que só vou saber na véspera. E, cereja no topo do bolo: o regresso do festival gastronómico Tribute to Claudia, do Vila Joya, no Algarve. Este ano com direito a celebração tripla. Além da habitual homenageada – foi em memória de Claudia Jung, mãe de Joy e fundadora do hotel com este forte cariz gastronómico, que o festival nasceu -, Dieter Koschina, o chef, e Joy Jung, a proprietária do hotel, comemoram o 20º aniversário da primeira Estrela Michelin atribuída ao Vila Joya, no ano de 1995. Como não há duas sem três, o festival, a decorrer em seis noites consecutivas entre 10 e 15 de Novembro, calha em cheio no dia em que o pai de Joy faz 85 anos. Razão mais que excelente para ampliar a festa e celebrar condignamente.

Dieter Koschina, Joy Jung e o pai, Klaus Jung. Celebração tripla no Festival Gourmet deste ano.
Dieter Koschina, Joy Jung e o pai, Klaus Jung. Celebração tripla no Festival Gourmet deste ano.

Depois de um interregno de dois anos, Joy decidiu trazer de volta o festival ao restaurante do hotel (que além das duas estrelas Michelin, orgulha-se de figurar também na 22ª posição no ranking dos 50 Melhores Restaurantes do Mundo), mas com algumas mudanças. A proprietária do Vila Joya sentiu a necessidade de recentrar o evento e fazê-lo regressar às origens. Com menos noites e menos mesas – logo, menos comensais -, regressará, espera Joy, o espírito familiar que sempre reinou neste hotel e que o sucesso estrondoso do festival acabou por ir apagando ao longo dos anos.

Subordinado ao tema “Traditional CrEATivity”, o festival trará, como sempre, grandes nomes da cozinha mundial a este palco algarvio. Koschina convidou, este ano, o maior número de chefs de todas as edições: um total de 51. A agenda comporta uma verdadeira constelação gastronómica.

International Gourmet Festival 2013

As hostilidades começam na terça, dia 10, subordinadas ao tema “Tradições Hoteleiras”. O Vila Joya é um hotel family-owned e gerido numa perspectiva muito descontraída – os clientes são amigos e recebidos como tal – e por isso convidou o grupo Feine Privathotels”, que partilha da mesma filosofia, para juntos criarem um menu comum.

O dia 11 ainda é surpresa. Gosto disso. Mas não vou descansar enquanto não descobrir o que aí vem.

A quinta-feira, dia 12, será uma das mais especiais: é quando acontece o “Tribute to Koschina”. São 20 anos desde que a atribuição de uma estrela Michelin mudou a vida deste chef de cozinha austríaco. Para celebrar em grande, foram convidados a comparecer 20 nomes que já passaram pelo Vila Joya – chefs que ali cresceram, evoluíram, e seguiram o seu caminho, mas a quem o hotel não quer deixar de agradecer o contributo que ali deixaram. Das mãos destes 20 chefs vão sair 20 amuse-bouches. Porque, explica Joy, “se forem 20 pratos as pessoas rebentam!”

Nos bastidores da cozinha do festival que dura seis noites e que ajudou a colocar Portugal no mapa da alta gastronomia mundial.
Nos bastidores da cozinha do festival que dura seis noites e que ajudou a colocar Portugal no mapa da alta gastronomia mundial.

O jantar de dia 13 é já um clássico: “Koschina & Friends”. Desde 2007 que é a noite mais popular do festival, por ser dedicada aos chefs mais próximos de Dieter Koschina. Os nomes dos que vão comparecer nesta edição ainda não estão confirmados, mas certamente que a lista final não irá desiludir.

No sábado, o tema é “CrEATive Portugal” e aí os convidados falam todos português. Entre eles contam-se Hans Neuner (Ocean), José Avillez (Belcanto), Ricardo Costa (The Yeatman), Miguel Laffan (L’And), Leonel Pereira (São Gabriel), João Rodrigues (Feitoria) e Pedro Lemos (Pedro Lemos), e a ideia é recriarem o seu prato preferido da infância numa interpretação de gastronomia moderna. Parece-me um desafio imperdível.

Foi em 1995 que Dieter Koschina conquistou a primeira Estrela Michelin. Em 99 veio a segunda e, durante 13 anos, o Vila Joya foi o único restaurante português detentor de duas estrelas.
Foi em 1995 que Dieter Koschina conquistou a primeira Estrela Michelin. Em 99 veio a segunda e, durante 13 anos, o Vila Joya foi o único restaurante português detentor de duas estrelas.

Para acabar, last but not least, um domingo passado entre “Munich Maestros”. Koschina convidou os grandes mestres de cozinha de Munique – já que a família Jung é oriunda desta cidade alemã – para que o regresso às origens que pautou todo este festival seja total. Entre os quatro chefs convidados – todos de nome impronunciável – destaco Eckart Witzigmann, que foi distinguido como Chef do Século.

Recapitulando: quem não quiser perder pitada deste Tribute to Claudia – Vila Joya’s International Gourmet Festival 2015, a acontecer entre 10 e 15 de Novembro, basta reservar lugar à mesa pelo número +351 289 591 795 ou pelo e-mail [email protected] O preço médio por pessoa ronda os 350 euros, mas há várias possibilidades à disposição, desde a mesa do chef e com ou sem alojamento incluído.

Vila Joya

Artigos Relacionados

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *